14 abril, 2007

ela fala

a lola tem andado inquieta, asneirenta e barulhenta. Já tentei ensiná-la a falar. Podia ser que ela me contasse o que a preocupa, ou apenas pormenores da paixão que tem por uma gaivota que todos os dias nos passa na janela. Talvez assim já não precisasse de miar estridentemente pelos cantos. São discursos de protesto – digo eu – é miminho – diz o ricardo. Muito embora os miares dela digam muitas palavras, não são aquelas que eu entendo. Quando me esforço e me ponho a adivinhar, consigo ver nos olhos dela o desalento de quem está a falar pró humano. Tenho pena que apenas comuniquemos com gestos, turras e festas…

2 comentários:

vasco disse...

essa gata aterroriza-me sempre que sou vosso convidado...lol

ana magana disse...

como é que um homem que «corta» ímpetos de marés e ondas esmagadoras pode ter medo de umas garras tão adoráveis e de um mau-feitio tão enternecedor como o da lola?? sinceramento vasco... :)